Processo seletivo para os Programas de Residência atraem candidatos de mais de 20 Estados do Brasil.

Na data de 4 de fevereiro, Campo Grande se tornou palco para um importante evento na área da saúde: a realização do exame para seleção de novos residentes em Medicina de Família e Comunidade, assim como para o Programa Multiprofissional em Saúde da Família SESAU/Fiocruz, este ano, o processo seletivo atraiu mais de 600 candidatos provenientes de 20 estados distintos do Brasil, evidenciando a abrangência e relevância deste programa para o sistema de saúde nacional.

Essa iniciativa está inserida no contexto do Projeto Territórios Integrados de Atenção à Saúde (TEIAS), uma parceria com a Fiocruz/RJ, que tem como propósito a formação de especialistas qualificados para o atendimento primário, hoje podendo iniciar a quinta turma de residência.

A Secretária Municipal de Saúde de Campo Grande, Dra. Rosana Leite, expressou sua satisfação pelo elevado interesse e diversidade dos candidatos: “desde recém-formados, ansiosos por iniciar sua carreira com uma sólida formação em uma área crucial, até profissionais com experiência, todos demonstraram um compromisso comum em contribuir para um sistema de saúde mais integrado e humanizado.

Este evento não marca apenas mais um processo seletivo, trata-se de um movimento significativo em direção ao fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), capacitação profissional e uma saúde pública mais eficaz e acessível ao cidadão brasileiro”. A escolha de Campo Grande como local para este acontecimento reflete o papel importante que a cidade vem desempenhando no avanço das políticas de saúde e na formação de profissionais altamente qualificados para enfrentar os desafios contemporâneos no campo da saúde, com a orientação e supervisão do TEIAS e os esforços conjuntos com a Secretaria Municipal de Saúde, espera-se que os novos residentes possam contribuir significativamente para a qualidade da assistência à população, com um cuidado que seja ao mesmo tempo especializado e atento às necessidades locais.

Hoje o Estado do Mato Grosso do Sul consegue absorver os egressos dos programas de residência, lotando principalmente as Unidades Básicas de Saúde, expandindo, assim, todo o conceito e experiências adquiridos, promovendo um melhor atendimento para a população.

Compartilhar publicação

Outras Publicações