Autor: Mayara Alves de Camargo

Título: Integralidade à saúde da mulher: em que medida as práticas de atendimento as mulheres se aproximam da integralidade.

CAMARGO, Mayara Alves. Integralidade à saúde da mulher: em que medida as práticas de atendimento as mulheres se aproximam da integralidade. 2022. Pág. 19. Trabalho de Conclusão de Residência – Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família SESAU/FIOCRUZ. Campo Grande/MS, 2022.

Após uma década da implantação da Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher (PNAISM), a sua completa aplicação na prática das nossas unidades de saúde ainda é um desafio, pois a atenção a saúde da mulher é fragmentada e dirigida a causas reprodutivas. Para que essa política nacional seja realmente colocada na prática de forma integral é necessário o envolvimento de todos os nossos gestores municipais, com empenho e mudança na forma de abordagem mais ampliada das consultas de saúde da mulher e construção de políticas mais efetivas. Objetivo geral: Desenvolver um projeto de intervenção utilizando o princípio da integralidade, tendo como eixo prioritário as consultas de enfermagem à saúde da mulher, na Unidade de Saúde da Família Coophavila II, Campo-Grande-MS. Metodologia: O projeto de intervenção foi realizado na Unidade de Saúde da Família Coophavila-II, localizada no distrito sanitário lagoa do município de Campo Grande – MS, tendo como público alvo os enfermeiros que atuam na atenção primária à saúde locados nessa Unidade de Saúde da Família, para a realização dessa proposta de intervenção, inicialmente foi identificado a problemática situacional e após, proposto o plano com as intervenções. Resultados: Nos encontros ficou claro a importância de mais estudos a serem desenvolvidos sobre esse tema e assim trazer mais qualificação para esses profissionais atuantes na APS de forma a trabalharem a política no dia-a-dia e para que novas políticas sejam construídas a fim de melhorar a saúde desse grupo populacional. A troca de experiências e as discussões geradas foram relevantes como forma de reflexão para uma melhor atuação profissional e oferta de uma atenção primaria mais eficiente.
Conclusão: Diante da prática do projeto de intervenção, verifica-se a necessidade de maiores capacitações e melhores treinamentos para os profissionais enfermeiros da Atenção Primaria a Saúde. Sabemos que os profissionais enfermeiros atuam principalmente na prevenção e promoção em saúde e para que possamos atingir a integralidade nas consultas e colocar integralmente em pratica a PNAISM precisamos promover ações de planejamento, organização, desenvolvimento e avaliação de ações que respondam às reais necessidades das mulheres da nossa área de abrangência. Quanto aos resultados esperados através dos objetivos inicialmente colocados, o mesmo pode alcançar seus objetivos, pois gerou troca de conhecimento e experiência, produzindo dessa maneira grande discussão sobre as dificuldades na pratica profissional dos enfermeiros e provocando reflexão sobre o papel desses profissionais na atenção à saúde desse grupo populacional, deixando dessa maneira o início da construção da integralidade do cuidado as mulheres atendidas na Unidade de Saúde da Família-Coophavila II.

Palavras-chave: Políticas públicas. Saúde da mulher. Assistência integral a saúde. Consulta de enfermagem.